A importância das Casas

Todo o mundo já ouviu, pelo menos uma vez na vida, Astrólogos a fornecer as suas previsões em resposta a determinado telefonema, em determinado dia, nalgum canal de televisão. De certo, quem está do lado de fora por vezes ouve certas frases que não entende – “… a Sra. Maria Deolinda tem Gémeos no Ascendente e Mercúrio em Gémeos na décima segunda Casa, o que a torna bastante diplomática e…”, “… o Sr. António Melo tem Capricórnio na cúspide na segunda Casa e o regente Saturno na segunda em Aquário, o que faz com que tenha uma enorme firmeza de propósitos e …”, e por aí fora.

Tecnicamente, o regente de cada Casa é o proprietário da Casa que rege, portanto, esse regente vai descrever a Casa melhor de que qualquer planeta aí colocado.Ao ler um horóscopo, os regentes das Casas podem não ser a área mais importante do delineamento. Enquanto a maioria dos astrólogos acha que o próprio planeta, os aspectos que forma, e o signo e a Casa em que está localizado são o mais importante, existem outros que não usam as regências, nem planetárias nem de Casas. Porém, estas regências desempenham um papel importante na arte do delineamento. Por exemplo, se o seu Sol está em Gémeos, e Mercúrio (o regente de Gémeos) está em Touro, você vai expressar a sua individualidade de modo bem diferente do que se o regente Mercúrio estivesse em Caranguejo.

Mas, quanto aos regentes das Casas? Porque é preciso de mais um matiz ou combinação? Suponha que você tem Gémeos na cúspide da segunda Casa e o regente Mercúrio esteja na quinta Casa. Será que o seu senso de valores ou a sua capacidade de ganhar dinheiro são os mesmos de quando Mercúrio se encontra na sétima Casa? Pensa-se que não! Na interpretação de mapas tudo tem de ser levado em consideração, e a regência das Casas é apenas mais uma área que precisa de ser compreendida.
De seguida poderá encontrar um exemplo da aplicação dos regentes das Casas no delineamento de perfil do escritor Ernest Hemingway:

Erneste Hemingway tem o regente da sua décima Casa na décima segunda. Ele deveria ter sido director de prisão: afinal, a décima Casa mostra a carreira, e a décima segunda representa reclusão e instituições! Mas Hemingway tem Gémeos na cúspide da décima Casa, e o regente Mercúrio está em Leão. Gémeos é o signo da comunicação – portanto, sua carreira poderia envolver alguma forma de comunicação; com o regente na décima segunda, deveria ser algo que ele pudesse fazer por si mesmo, em particular, sozinho. Porém, como o regente está em Leão, a sua carreira precisava dar-lhe oportunidade de brilhar, em vez de “ficar nos bastidores”, que é a interpretação usual da décima segunda Casa. Que melhor forma de brilhar do que através dos seus livros? Você também precisa de se lembrar que o Mercúrio de Hemingway faz um sextil exacto com Neptuno (distância angular de 60º), o planeta da imaginação, confirmando uma carreira mais imaginativa do que a de enfermeiro ou director de prisão.